Super Mário opera reviravolta para o Gala

Ali Sami Yen Stadyumu, Istambul – 03-04-2001 – Quartos-de-final
Galatasaray
Galatasaray
Davala 47 (P) Hasan Şaş 66 Jardel 75
3 - 2
Real Madrid
  • Iván Helguera 33
  • Makelele 43
Real Madrid
De volta à glória

"Foi, talvez, a melhor segunda parte de toda a minha carreira." Mircea Lucescu

2000/01

• Com sete golos, Raúl González, tornou-se no primeiro jogador a sagrar-se o melhor marcador da UEFA Champions League em duas ocasiões, depois de ter partilhado o triunfo com Mário Jardel (FC Porto) e Rivaldo (FC Barcelona) em 1999/2000.

• Registaram-se 63 golos em 16 partidas da primeira jornada - novo máximo para um dia de jogos - e quando o FC Bayern München bateu o Valencia CF na final, marcaram-se 449 golos à média de 2,86 por jogo.

• O apuramento do RC Deportivo La Coruña para os quartos-de-final parecia comprometido quando aos 55 minutos perdia por 3-0 com o PSG, em partida da segunda fase de grupos, mas um "hat-trick" de Walter Pandiani ajudou os campeões espanhóis a seguirem em frente.

 

O Galatasaray AŞ completou uma extraordinária recuperação frente ao Real Madrid CF numa noite assim tornada memorável em Istambul, tendo recuperado de uma desvantagem de 2-0 ao intervalo e surpreendendo os detentores do troféu numa emocionante vitória na primeira mão dos quartos-de-final.

Golos de Iván Helguera e Claude Makélélé pareciam ter dado ao conjunto espanhol, que vencera a sua oitava Taça dos Clubes Campeões Europeus em Maio anterior, uma vantagem irrecuperável. Mas, inspirados por uma claque entusiástica, os anfitriões reagiram de forma enfática, graças a golos de Ümit Davala, Hasan Şaş e de um dos inimigos públicos do Real Madrid, Mário Jardel.

Esta era uma das melhores equipas de sempre do Galatasaray. Inspirada por Gheorghe Hagi e liderada pelo prolífico Jardel, haviam derrotado o Real Madrid em Agosto na SuperTaça Europeia, no Mónaco, com o dianteiro então acabado de contratar ao FC Porto a bisar. A equipa espanhola era uma verdadeira constelação de estrelas de nível mundial, com Raúl González, Luís Figo e Roberto Carlos a serem somente três dos nomes sonantes que compunham o plantel "merengue", cuja equipa dominou o primeiro tempo.

O Real Madrid quase assumiu o comando do marcador aos 28 minutos, quando Figo rematou rasteiro, ligeiramente ao lado. No entanto, o primeiro golo não demoraria muito mais tempo a surgir. O capitão da selecção portuguesa foi o arquitecto, cobrando um livre de forma precisa sobre a barreira, surgindo Helguera a desviar de cabeça e a colocar a bola fora do alcance de Cláudio Taffarel. Dois minutos antes do intervalo, Roberto Carlos executou um longo lançamento de linha lateral na direcção de Raúl, que, por seu turno, serviu Claude Makélélé, que, junto ao poste mais distante, apontou um dos raros golos da sua ilustre carreira.

Ao contrário dos adeptos presentes no Estádio Ali Sami Yen, os anfitriões estavam em bom espírito. A segunda parte tinha apenas dois minutos quando Hasan Şaş foi derrubado na área por Makélélé, o que permitiu que Ümit levasse Iker Casillas a mergulhar para o lado errado para o qual o turco rematara. Depois, aos 66 minutos, a partida ficou empatada, com Hasan Şaş a dar o melhor seguimento a um passe atrasado do substituto Fatih Akyel, após uma excelente arrancada deste pelo flanco direito.

De um momento para o outro, a equipa de Lucescu sentia que podia chegar à vitória. E o terceiro golo surgiria aos 75 minutos, quando Fatih aproveitou um erro defensivo do Real Madrid, fugiu pelo lado direito e cruzou para a cabeça de Jardel, que assim apontou o seu terceiro tento em dois jogos frente aos "merengues". Pouco depois, ainda teve um golo anulado, que teria dificultado ainda mais a tarefa do Real Madrid para a segunda mão. Mas, pelo menos naquela noite, os fervorosos adeptos do Galatasaray aplaudiram Super Mário… e um famoso triunfo europeu.

Estrelas

  • Jardel

    Duas vezes vencedor da Bota de Ouro ESM, Jardel era mortífero diante da baliza. O jogador natural de Fortaleza registou uma média de mais de um golo por jogo (183 em 174) no campeonato português, ao serviço de FC Porto e Sporting, e ajudou o Galatasaray AŞ a vencer a SuperTaça Europeia em 2000. O brasileiro teve dificuldades para repetir os mesmos feitos nos restantes 13 clubes (de nove países diferentes) que representou ao longo da carreira, mas será para sempre adorado na Turquia e em Portugal.

  • Davala

    Médio incansável com tendência para marcar, Ümit passou pelos dois clubes de Milão, mas foi no Galatasaray AŞ que desfrutou de maior sucesso, vencendo quatro campeonatos e três Taças da Turquia. Marcou no desempate por penalties na final da Taça UEFA de 2000, ganha ao Arsenal FC, juntando ao seu palmarés a "dobradinha" alemã com a camisola do SV Werder Bremen, em 2003/04. Dono de um corte de cabelo invulgar, Ümit ajudou a Turquia a conseguir o terceiro lugar no Campeonato do Mundo de 2002.

  • Luís Figo

    Cabeça de cartaz da famosa "geração de ouro" de Portugal, Figo foi presença constante na selecção lusa durante 15 anos. Produto dos escalões de formação do Sporting, desfrutou de grande sucesso no FC Barcelona, e foi preciso uma transferência-recorde para o levar para o Real Madrid CF, em 2000. Seguiram-se mais títulos, incluindo a Bola de Ouro e a UEFA Champions League em 2002, antes de Figo terminar a carreira no FC Internazionale Milano, onde ganhou o "scudetto" em cada uma das quatro épocas passadas em Itália.

O que aconteceu depois?

• O Real Madrid CF também conseguiu uma recuperação, esmagando o Galatasaray AŞ por 3-0 no Estádio Santiago Bernabéu, graças a golos na primeira parte de Raúl González (2) e de Iván Helguera.

• Contudo, o Real Madrid seria afastado nas meias-finais, ao perder por um total de 3-1 frente ao futuro campeão europeu, o FC Bayern München. O conjunto dirigido por Vicente del Bosque consolar-se-ia com a conquista do 28º título da Liga espanhola.

• O Galatasaray foi batido na corrida para o título da Süper Lig turca pelo Fenerbahçe SK, mas a equipa de Mircea Lucescu emendaria esse desaire na segunda temporada do romeno ao comando, antes de este ter partido para o Beşiktaş JK.

• Nesse Verão, o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, continuou a reforçar a sua equipa de "Galácticos" ao contratar o organizador de jogo internacional francês Zinédine Zidane aos italianos da Juventus, por um valor-recorde mundial de 73 milhões de euros.

• A sua política alcançou o resultado desejado, pois, na época seguinte, os "merengues" conseguiram a nona Taça dos Clubes Campeões Europeus do seu historial, com Zidane a apontar o memorável golo da vitória na final de Glasgow, frente ao Bayer 04 Leverkusen.

 

Junte-se à conversa

  • © 1998-2014 UEFA . Todos os direitos reservados.
  • As palavras CHAMPIONS LEAGUE e UEFA CHAMPIONS LEAGUE, o logótipo e o troféu da UEFA Champions League e o logótipo da Final da UEFA Champions League estão protegidas por marcas registadas e/ou direitos de autor da UEFA. As referidas marcas registadas não podem ser utilizadas para qualquer fim comercial. A utilização do UEFA.com implica o seu acordo com os Termos e Condições, e com a Política de Privacidade.