Juventus cai com golpe do United

Delle Alpi, Turim – 21-04-1999 – Meias-finais
Juventus
Juventus
Inzaghi 6, 11
2 - 3
Man. United
  • Keane 24
  • Yorke 34
  • Cole 83
Man. United
De volta à glória

"Inacreditável. Simplesmente inacreditável. Ganhar o jogo com o fizemos é fenomenal." Andrew Cole

1998/99

• O Manchester United FC apontou um número recorde de 20 golos na fase de grupos - com destaque para dois empates, 3-3, em casa e fora frente ao FC Barcelona, campeão espanhol - e seguiu em frente apesar de ter vencido apenas dois dos seus seis jogos nessa fase.

• Juventus, Galatasaray AŞ e Rosenborg BK terminaram todos com oito pontos no Grupo B; turcos e noruegueses acabaram por ficar pelo caminho, fruto de um pior registo no confronto directo, e a Juve acabou por ficar em primeiro lugar e seguir em frente, apesar de ter vencido apenas um jogo.

• Andriy Shevchenko, do FC Dynamo Kyiv, e Dwight Yorke, do Manchester United FC, terminaram como os melhores marcadores da prova, com oito golos cada, naquela que foi, para Yorke, a primeira temporada a jogar na UEFA Champions League.

Perante o abismo, o Manchester United FC tinha uma grande vantagem sobre a Juventus e o seu nome era Roy Keane.

O internacional da República da Irlanda teve tal preponderância no encontro em Turim que parecia que o United tinha um jogador a mais em campo. O médio esteve incansável, parecia que existia um Keane para ajudar o ataque e um outro para travar as investidas da Juve.

Os jogadores formados no United tinham sido considerados “miúdos” alguns anos antes, mas agora eram legítimos candidatos a reis da Europa. A inocência da juventude foi definitivamente perdida quando o empate a um golo da primeira mão se transformou numa desvantagem de 3-1 na eliminatória.

O goleador Filippo Inzaghi desferiu os primeiros golpes nos ingleses. O internacional italiano inaugurou o marcador aos 6 minutos, quando resistiu à pressão de Gary Neville e desviou um cruzamento de Zinédine Zidane para a baliza. Pouco depois, Inzaghi fez o 2-0 quando o remate de ângulo reduzido tabelou em Jaap Stam e a bola sobrevoou o desamparado Peter Schmeichel.

O United precisava de marcar dois golos e, para sorte da equipa, Keane sempre foi um jogador que gostou os grandes desafios. O camisola 16 do United lutou muito no meio-campo durante todo o jogo mas, aos 24 minutos, teve tempo para subir ao ataque e bater Angelo Peruzzi, com um cabeceamento, na sequência de um pontapé de canto de David Beckham.

Pouco depois, quando foi ultrapassada a meia-hora de jogo, o irlandês viu um cartão amarelo que o impediria de alinhar na final. Esta punição só veio motivar ainda mais o indomável Keane. Os ingleses empataram logo a seguir, com Dwight Yorke a escapar ao seu marcador directo e a corresponder a um cruzamento de Andrew Cole, para bater Peruzzi com um cabeceamento.

Yorke ainda enviou uma bola ao ferro antes do intervalo, mas a Juve mostrou que não era uma equipa banal e voltou a adiantar-se após o descanso. Inzaghi marcou mais um golo mas o italiano, que Alex Ferguson considerava que tinha nascido “fora-de-jogo”, estava mesmo em posição ilegal.

O United não se deixou abater e subiu ao ataque, mas o ferro voltou a evitar um golo nos visitantes, desta vez ao devolver um remate de Denis Irwin. Contudo, a sete minutos do final, Yorke avançou pela defesa italiana e depois de derrubado por Peruzzi, viu o seu colega de ataque, Andy Cole, empurrar a bola para a baliza deserta.

Os muitos adeptos que viajaram de Inglaterra entraram em delírio, já que o clube eliminou a Juventus em Turim e garantiu a primeira presença numa final europeia em 31 anos. Poderia acontecer algo ainda melhor? Não duvidem que sim, mesmo sem Keane.

Estrelas

  • Keane

    Impetuoso, intenso e agressivo, Keane deu um novo significado ao médio "todo-o-terreno". Sucessor de Eric Cantona como capitão do Manchester United FC, Keane ganhou sete títulos da Premier League e quatro Taças de Inglaterra em Old Trafford. Falhou a final da UEFA Champions League de 1999 depois de ter visto um cartão amarelo durante a exibição memorável frente à Juventus, nas meias-finais. Depois de conquistar o título escocês ao serviço do Celtic FC, o antigo internacional da República da Irlanda dedicou-se à carreira de treinador.

  • Cole

    Desprovido de velocidade estonteante ou atributos físicos ímpares, a qualidade notável de Cole era o seu jeito especial para estar no sítio certo à hora certa. Depois de uma passagem prolífica pelo Newcastle United FC, mudou-se para o Manchester United FC, naquela que foi a transferência recorde na Grã-Bretanha. Cole ganhou cinco títulos da Premier League, duas Taças de Inglaterra e a UEFA Champions League em 1999, tudo sob orientação de Alex Ferguson, formando parcerias de luxo com Dwight Yorke e Teddy Sheringham.

  • Inzaghi

    Durante duas décadas, o avançado italiano, finalizador nato, foi presença indesejada nas costas do último defesa. Conquistou o "Scudetto" em 1998, antes de a Juventus o vender ao AC Milan, e fez a sua antiga equipa sofrer, batendo-a na final da UEFA Champions League em 2003, ganha pelos "rossoneri". Inzaghi sempre guardou o melhor para as competições europeias, e bisou na final da mesma prova frente ao Liverpool FC, quatro anos depois.

O que aconteceu depois?

• O Manchester United FC sagrou-se campeão europeu pela segunda vez na sua história após uma vitória dramática sobre o FC Bayern München, por 2-1, com golos de Teddy Sheringham e Ole Gunnar Solskjær nos instantes finais.

• Essa vitória completou uma "tripla" memorável para o United, que ganhou o seu sexto título da Premier League em oito temporadas, ao qual juntou a Taça de Inglaterra, após derrotar o Newcastle United FC na final, realizada em Wembley.

• A Juventus terminou a Serie A em sexto lugar, a 16 pontos do campeão AC Milan. Marcello Lippi foi substituído por Carlo Ancelotti nesse Verão, mas regressou ao clube em 2001, depois de dois segundos lugares.

• Durante essa segunda passagem, a Juve de Lippi foi duas vezes derrotada pelo United na segunda fase de grupos da edição 2002/03 da UEFA Champions League, mas alcançou a final em Old Trafford, onde perdeu com o Milan nos penalties.

• Alex Ferguson viria a cumprir 25 anos como treinador do United, alcançando mais três finais da UEFA Champions League mas vencendo apenas uma, em 2008. Foi derrotado pelo FC Barcelona em 2009 e 2011.

Junte-se à conversa

  • © 1998-2014 UEFA . Todos os direitos reservados.
  • As palavras CHAMPIONS LEAGUE e UEFA CHAMPIONS LEAGUE, o logótipo e o troféu da UEFA Champions League e o logótipo da Final da UEFA Champions League estão protegidas por marcas registadas e/ou direitos de autor da UEFA. As referidas marcas registadas não podem ser utilizadas para qualquer fim comercial. A utilização do UEFA.com implica o seu acordo com os Termos e Condições, e com a Política de Privacidade.