Chelsea cai na final e United volta a festejar

Stadion Luzhniki, Moscovo – 21-05-2008 – Final
Man. United
Man. United
Cristiano Ronaldo 26
1 - 1
Chelsea
  • Lampard 45
Chelsea
Emoção constante



"Falhei o penalty e parecia o pior dia da minha vida. Agora é o melhor dia da minha vida." Cristiano Ronaldo

2007/08

• O Liverpool FC derrotou o Beşiktaş JK, por 8-0, em Anfield, na quarta jornada, naquela que é a vitória mais expressiva na história da competição. O rival interno dos "reds", Arsenal FC, goleara o SK Slavia Praha, na jornada anterior, por 7-0.

 

• Aos 43 anos e 253 dias, o guarda-redes da S.S. Lazio, Marco Ballotta, tornou-se no mais velho jogador a participar num encontro da UEFA Champions League, ao jogar todos os minutos na derrota, por 3-1, no terreno do Real Madrid CF, na sexta jornada da fase de grupos.

• O Manchester United FC derrotou o Barcelona, por 1-0, na segunda mão das meias-finais, naquela que foi a 12ª vitória consecutiva dos "red devils" em casa. No entanto, 13 seria o número do azar quando, na primeira jornada da época seguinte, foram travados pelo Villarreal CF.

 

Quarenta anos depois da conquista do seu primeiro troféu europeu, 50 anos depois do desastre aéreo de Munique e na noite do 759º jogo de Ryan Giggs pelo clube (marca recorde), a festa do Manchester United FC, que disputava a final da edição 2007/08 da UEFA Champions League, esteve perto de ficar estragada.

Depois de uma campanha interna épica ter levado o United a ultrapassar o rival Chelsea FC nas últimas jornadas da Premier League, a primeira final cem por cento inglesa da prova ofereceu um desafio emocionante no encharcado relvado do Estádio Luzhniki.

O United foi o primeiro a mostrar serviço, aos 26 minutos, quando Cristiano Ronaldo fugiu a Michael Essien e cabeceou de forma perfeita para o fundo da baliza o cruzamento de Wes Brown, fazendo o seu 42º golo da época.

Impulsionado pelo dinâmico Owen Hargreaves e dirigido pelo maestro Paul Scholes, o United viu a sua vantagem ser ameaçada pela primeira vez quando Rio Ferdinand cabeceou inadvertidamente para a sua própria baliza, mas Edwin van der Sar evitou o pior.

Petr Čech revelou-se igualmente eficiente ao negar o golo a Carlos Tévez e, de seguida, a Michael Carrick, depois de uma jogada de envolvência do United. O Chelsea, pragmático como sempre, mesmo depois da saída de José Mourinho, aguentou a pressão e acabou por chegar ao merecido empate à beira do intervalo, altura em que Lampard surgiu por entre Van der Sar e Ferdinand e fez a recarga a um remate de Essien que sofrera um desvio.

A sorte favoreceu os "blues" e o ascendente na partida parecia agora estar do seu lado: Didier Drogba acertou no poste, num remate tão venenoso como enganador, mas foi preciso recorrer ao prolongamento. Lampard foi o jogador seguinte a ver goradas as suas intenções, após receber um passe de Michael Ballack e rematar à barra.

Saído do banco de suplentes para quebrar o recorde de longa data de Bobby Charlton, Giggs quase assinalou o feito com o tento da vitória, mas John Terry conseguiu cortar o lance. Drogba foi expulso depois de uma discussão. Seguiram-se os penalties.

Ronaldo foi o primeiro jogador a falhar, ao nono remate, deixando Terry, capitão do Chelsea, com a oportunidade de dar a vitória à sua equipa e o primeiro troféu da principal prova de clubes do historial dos ingleses. A falta de equilíbrio e o poste voltaram a frustrar os "blues". Giggs marcou, Nicolas Anelka falhou e, com a Praça Vermelha nas imediações, a noite acabou por ser de festa para os "red devils".

Estrelas

  • Cristiano Ronaldo

    Ronaldo despertou a atenção do treinador do Manchester United FC, Alex Ferguson, após realizar apenas 11 jogos como titular no Sporting. O extremo internacional português foi ganhando espaço na equipa até fixar-se em 2006/07, época da conquista do primeiro de três títulos seguidos da Premier League. Ronaldo marcou 42 golos pelo clube quando o United venceu a UEFA Champions League na temporada seguinte. Ingressou no Real Madrid CF por uma verba recorde mundial de 94 milhões de euros no Verão de 2009 e atingiu os 50 remates certeiros na Liga espanhola em 51 jogos disputados.

  • Terry

    Jogador que apenas conheceu um clube, o internacional inglês John Terry tem sido o esteio do Chelsea FC desde que substituiu Marcel Desailly como capitão de equipa em Agosto de 2004, tendo liderado os "blues" a títulos sucessivos da Premier League, os primeiros ao fim de 50 anos. O defesa-central falhou o penalty quando o clube podia conquistar pela primeira vez a Taça dos Clubes Campeões Europeus, em 2008. No entanto, Terry ganhou quatro Taças de Inglaterra e três edições da Premier League.

  • Van der Sar

    Jogador mais internacional pela selecção da Holanda, Van der Sar despontou para a ribalta quando o AFC Ajax venceu a UEFA Champions League em 1995. O seu desempenho pelo gigante de Amesterdão garantiu-lhe a transferência para a Juventus e depois para o Fulham FC, de Inglaterra. Contratado pelo Manchester United FC em 2005, preencheu como ninguém a vaga deixada em aberto pela saída de Peter Schmeichel e ajudou o United a conquistar três títulos seguidos na Premier League e a UEFA Champions League de 2008.

O que aconteceu depois?

• O Manchester United FC voltou a atingir a final na temporada seguinte, mas não se conseguiu tornar no primeiro clube a defender com êxito o troféu da UEFA Champions League, ao ser derrotado por 2-0 pelo FC Barcelona, em Roma.

• Ryan Giggs, que no jogo da final de 2008 ultrapassou o registo de Bobby Charlton como o jogador com mais encontros disputados ao serviço do United, acabaria também por ultrapassar o recorde de 606 jogos do campeão do Mundo de 1966 com a camisola do United, na Liga inglesa.

• O golo com que Cristiano Ronaldo inaugurou o marcador na final de Moscovo foi o seu 42º da temporada. O internacional português apontou 26 tentos pelo United na temporada seguinte, antes de rumar ao Real Madrid CF, numa transferência recorde avaliada em 94 milhões de euros.

• Os pupilos de Alex Ferguson revalidaram o título de campeão inglês em 2008/09, mas falharam o feito sem precedentes de conquistar o título quatro anos seguidos, ao terminarem a um ponto do Chelsea FC, de Carlo Ancelotti, na temporada de 2009/10.

• A derrota na final de Moscovo foi o último jogo de Avram Grant ao leme do Chelsea. Sucedeu-lhe Luiz Felipe Scolari, que foi depois substituído por Guus Hiddink, antes de Ancelotti assumir o comando da formação londrina, no arranque da temporada seguinte.

Junte-se à conversa

  • © 1998-2014 UEFA . Todos os direitos reservados.
  • As palavras CHAMPIONS LEAGUE e UEFA CHAMPIONS LEAGUE, o logótipo e o troféu da UEFA Champions League e o logótipo da Final da UEFA Champions League estão protegidas por marcas registadas e/ou direitos de autor da UEFA. As referidas marcas registadas não podem ser utilizadas para qualquer fim comercial. A utilização do UEFA.com implica o seu acordo com os Termos e Condições, e com a Política de Privacidade.