Pršo dá surpresa de aniversário no Mónaco

Stade Louis II, Mónaco – 05-11-2003 – Fase de grupos
Monaco
Monaco
Rothen 2 Giuly 11 Pršo 26, 30, 45+2, 49 Plašil 47 Cissé 67
8 - 3
Deportivo
  • Tristán 39, 52
  • Scaloni 45
Deportivo
Drama até ao fim

"Aquele quarto golo foi a cereja no topo do bolo, feliz aniversário Dado." Dado Pršo

2003/04

• O FC Bayern München derrotou o RSC Anderlecht por 1-0 na sexta jornada da fase de grupos e seguiu em frente a expensas do adversário. Tratou-se do primeiro de 12 desaires seguidos (marca recorde) do clube da Bélgica na UEFA Champions League.

• O AEK Athens FC terminou a terceira participação na fase de grupos sem qualquer vitória, o que só aconteceu à 22ª tentativa, frente ao LOSC Lille Métropole, em 2006/07.

• Esta foi a primeira época da prova no formato actual, pois a realização de mais uma eliminatória substituiu a segunda fase de grupos, o que significou que as equipas tiveram de ultrapassar 13 jogos, em vez de 17, para chegar à vitória.

Se alguém tivesse perguntado ao avançado do AS Monaco FC, Dado Pršo, o que escolheria para presente do seu 29º aniversário, ficaria decerto estupefacto de lhe fosse dito que o seu desejo seria marcar quatro golos num encontro da UEFA Champions League.

Mas tal de facto viria a acontecer, numa partida ante o RC Deportivo La Coruña, e que o diário francês L'Equipe viria a titular como "une soirée de folie" ("uma noite de loucos"). No final da partida foram registados dois novos máximos na prova: o de maior número de golos num só jogo e o maior total de tentos apontados no conjunto dos dois encontros.

Quando os 15.882 espectadores tomaram os seus lugares no Stade Louis II, poucos pensariam no que iriam presenciar. Quinze dias antes, em Espanha, um golo de Diego Tristán perto do final separara as equipas numa disputada partida e que deixara os galegos com mais um ponto no topo do Grupo C. O tento de Jérôme Rothen logo ao segundo minuto mostrou que nada seria igual.

O Mónaco, apesar de não contar com Fernando Morientes no ataque devido a lesão, entrou fortíssimo, causando problemas aos espanhóis, e há meia-hora de jogo já o marcador anunciava 4-0, com os restantes golos a serem da autoria de Pršo (dois) e outro de Ludovic Giuly.

Tristán e Lionel Scaloni reduziram a desvantagem antes do intervalo, mas ainda houve tempo para Pršo fazer o seu "hat-trick" e resolver a partida. Mas tanto o Mónaco como o avançado croata queriam mais. Jaroslav Plašil marcou logo após o recomeço e pouco depois Pršo tornava-se no terceiro jogador a marcar quatro golos num jogo da UEFA Champions League, e fê-lo em apenas 23 minutos.

Tristán ainda fez mais um para o Depor, mas seria do Mónaco a última palavra no encontro, com Édouard Cissé a fazer o 8-3, a meio da segunda parte. No entanto, esta foi a noite de Pršo. "O treinador disse que me iria dar um presente de aniversário e, vistas as coisas, não poderia ter sido melhor", afirmou. "Dois golos já tinha marcado, mas nunca tinha feito um "hat-trick" e muito menos conseguido quatro tentos."

Estrelas

  • Tristán

    No ponto alto da sua carreira, Diego Tristán foi um dos melhores avançados do futebol europeu, revelando tanta qualidade com e sem bola como o à vontade que tinha no futebol aéreo e com a bola colada na relva. Nascido nos arredores de Sevilha, notabilizou-se pelos seis anos em que representou o RC Deportivo La Coruña, entre 2000 e 2006, marcando mais de 100 golos, vencendo a Taça de Espanha em 2002 e terminando por duas vezes a Liga no segundo lugar.

  • Pršo

    Hábil e forte no jogo aéreo, Dado Pršo deixou a antiga Jugoslávia devido à instável situação política e, mais tarde, deu-se a conhecer no AS Monaco FC. Venceu a Ligue 1 em 2000 e conquistou também o título na Escócia ao serviço do Rangers FC, em 2005. Apesar de não ser um goleador-nato, assinou quatro golos pelo Mónaco no espaço de 23 minutos num jogo da UEFA Champions League frente ao RC Deportivo La Coruña, em 2003.

  • Evra

    Internacional pela França, mas nascido no Senegal, Evra deixou a academia do Paris Saint-Germain FC para iniciar a carreira em Itália como extremo no Marsala Calcio. No entanto, ganhou nome no futebol a actuar a lateral-esquerdo, tendo saltado para a ribalta na caminhada do AS Monaco FC até à final da UEFA Champions League de 2004, perdida frente ao FC Porto. Participou em mais duas finais da prova desde que ingressou no Manchester United FC em 2006 e venceu a disputada dois anos depois frente ao Chelsea FC.

O que aconteceu depois?

• Ambas as equipas seguiram em frente no Grupo C, com o Mónaco, vencedor do grupo, a ultrapassar PFC Lokomotiv Moskva, Real Madrid CF e Chelsea FC antes de chegar à final, em Gelsenkirchen, onde acabou por perder por 3-0 ante o FC Porto.

• O FC Porto afastou o RC Deportivo La Coruña nas meias-finais, após a formação espanhola ter proporcionado mais um momento memorável na prova, nos quartos-de-final, onde, com uma vitória por 4-0 sobre AC Milan no jogo da segunda mão, deu a volta à derrota por 4-1 que havia sofrido na partida da primeira mão.

• Seriam necessários praticamente mais dois anos para se ver outra equipa conseguir marcar oito golos num jogo da UEFA Champions League, quando o Liverpool FC derrotou os turcos do Beşiktaş JK por 8-0 - a formação inglesa vencia por 2-0 ao intervalo.

• Um ano depois, Ruud van Nistelrooy tornou-se no quarto jogador a marcar quatro golos num só jogo da UEFA Champions League, num triunfo por 4-1 do Manchester United FC sobre o AC Sparta Praha por 4-1, em Old Trafford.

• O Deportivo terminou no terceiro lugar da Liga espanhol e voltou a conseguir marcar presença na fase de grupos da UEFA Champions League, pela quinta temporada consecutiva. Foi, porém, a última ocasião em que o conseguiu.

Junte-se à conversa

  • © 1998-2014 UEFA . Todos os direitos reservados.
  • As palavras CHAMPIONS LEAGUE e UEFA CHAMPIONS LEAGUE, o logótipo e o troféu da UEFA Champions League e o logótipo da Final da UEFA Champions League estão protegidas por marcas registadas e/ou direitos de autor da UEFA. As referidas marcas registadas não podem ser utilizadas para qualquer fim comercial. A utilização do UEFA.com implica o seu acordo com os Termos e Condições, e com a Política de Privacidade.