Ronaldo sentencia Manchester United

Old Trafford, Manchester – 23-04-2003 – Quartos-de-final
Man. United
Man. United
Van Nistelrooy 43 Iván Helguera 52 (o.g.) Beckham 71, 85
4 - 3
Real Madrid
  • Ronaldo 12, 50, 59
Real Madrid
Drama até ao fim

"Perdi a conta a quantos golos marcou o Ronaldo nesse dia. Ele deixou o relvado debaixo de enorme ovação." Luís Figo

2002/03

• O RC Deportivo La Coruña bateu o FC Bayern München na primeira jornada e terminou com a invencibilidade caseira da formação da Baviera na prova, que durava desde Dezembro de 1997, numa derrota por 1-0 contra o IFK Göteborg.

• A edição de 2002/03 teve um recorde de 44 empates, com três encontros da sexta jornada a terminarem com 3-3 no marcador. O destaque aconteceu quando o Liverpool FC, que ao intervalo do jogo ante o FC Basel 1893 perdia por 3-0, forçou o adversário à partilha de pontos, mas esta não seria a última vez que os ingleses conseguiriam tal proeza.

• Os gregos do AEK Athens FC estiveram imbatíveis na primeira fase de grupos, mas ficaram pelo caminho já que empataram os seis jogos: ante Real Madrid CF, AS Roma e KRC Genk, campeão da Bélgica.

O aplauso de um adversário rendido destaca-se sempre na memória e nem mesmo o mais fanático adepto do Manchester United FC negaria que Ronaldo foi merecedor de um desses tributos de Old Trafford, em Abril de 2003.

O ponta-de-lança brasileiro do Real Madrid CF saiu a meio da segunda parte, depois de ter terminado com os sonhos dos "red devils" com um fantástico "hat-trick".

Após ter perdido na primeira mão, no Santiago Bernabéu, por 3-1, Alex Ferguson admitiu que a chave para poder dar a volta à eliminatória seria manter Ronaldo sob controle. "Simplesmente, não o conseguimos fazer", lamentou. O dianteiro brasileiro esteve bastante activo desde o apito inicial, tirando Rio Ferdinand para marcar em Old Trafford com somente 12 minutos de jogo.

Ruud van Nistelrooy deu à equipa da casa uma réstia de esperança antes do intervalo, com o seu 12º golo naquela edição da prova – um recorde da UEFA Champions League –, mas Ronaldo não estava pelos ajustes. Momentos após Luís Figo ter rematado à trave, o brasileiro só teve de encostar um cruzamento de Roberto Carlos. Mas, dois minutos volvidos, o companheiro de equipa, Iván Helguera, desviaria a bola para as próprias redes.

Mas nada conseguia parar Ronaldo e a já pouca ambição do United terminaria antes da hora, quando o brasileiro rematou de 25 metros de distância, surpreendendo Fabien Barthez na baliza dos ingleses. Os indefectíveis de Old Trafford estavam rendidos à evidência do talento de Ronaldo e desalentados por o brasileiro ter terminado com o seu sonho da presença na final. Mas levantaram-se das suas cadeiras para aplaudirem o "Fenómeno", quando este foi substituído por Santiago Solari a 15 minutos do fim.

No entanto, o United tem a reputação de nunca desistir. A sua convicção e talento levou-o, ainda assim, a uma fantástica vitória por 4-3, num jogo em que David Beckham, surpreendentemente afastado da titularidade, acabou por marcar dois golos. Nos instantes finais, até os jogadores do Real Madrid pareciam ter acreditado que o United seria capaz de marcar os restantes dois golos exigidos.

No entanto, o "hat-trick" de Ronaldo foi merecidamente decisivo. "Jamais esquecerei aquela ovação. No entanto, não me consideraria o protagonista. A equipa trabalhou muito bem." Poucos em Manchester concordariam com sua modéstia nessa noite.

Estrelas

  • Beckham

    Desde o momento em que marcou um golo sobre a linha de meio-campo, David Beckham não mais saiu debaixo das luzes da ribalta. Nem sempre pelos melhores motivos, inicialmente, mas ainda assim ganhou um espaço no coração dos adeptos ingleses, tendo completado 100 jogos pela selecção do seu país. As qualidades de Beckham ajudaram o Manchester United FC a vencer seis campeonatos, além da UEFA Champions League em 1999, sendo que o atleta venceu também a Liga espanhola ao serviço do Real Madrid CF.  

  • Ronaldo

    Melhor marcador na história das fases finais de Campeonatos do Mundo, o brasileiro Ronaldo brilhou ao mais alto nível em mais de uma década no futebol europeu. O avançado marcou 273 golos em 402 jogos ao serviço de PSV Eindhoven, FC Barcelona, FC Internazionale Milano, Real Madrid CF e AC Milan entre 1994 e 2008, bem como 62 tentos em 97 internacionalizações pelo Brasil. Venceu por duas vezes o Campeonato do Mundo, tendo conquistado o galardão de Melhor Jogador do Mundo em três ocasiões, detendo esse recorde juntamente com Zinédine Zidane.

  • Luís Figo

    O mais alto representante da "geração de ouro" de Portugal, Luís Figo foi figura de proa da selecção lusa durante 15 anos. Produto das escolas do Sporting Clube de Portugal, viveu grandes sucessos ao serviço do FC Barcelona e foi preciso uma transferência-recorde para que o Real Madrid CF o conseguisse contratar, em 2000. Seguiram-se mais títulos, incluindo o Ballon d'Or e a UEFA Champions League de 2002, antes de terminar a carreira ao serviço do FC Internazionale Milano, com a conquista do "Scudetto" nas quatro épocas que esteve em Itália.

O que aconteceu depois?

• O Real Madrid CF defrontou a Juventus nas meias-finais e não conseguiu defender a vantagem de 2-1 na segunda mão, com os italianos a marcarem três golos no Della Alpi, tornando inútil o remate certeiro de Zinédine Zidane nos últimos minutos.

• Todos os olhos se viraram para Old Trafford, onde o encontro entre Juventus e AC Milan produziu o primeiro 0-0 numa final da era da UEFA Champions League. Os "rossoneri" conquistaram o título depois de se imporem por 3-2 no desempate por grandes penalidades.

• Vicente del Bosque levou o Real Madrid ao título espanhol, mas no dia seguinte foi informado que o seu contrato não seria renovado. Fernando Hierro também terminou a carreira no Santiago Bernabéu, depois de mais de 500 jogos pelos "merengues".

• O português Carlos Queiroz foi o primeiro de cinco treinadores que passariam pelo Bernabéu ao longo de três épocas. O Real Madrid contratou David Beckham no Verão de 2003 por 35 milhões de euros, mas só conquistaria um novo troféu em Maio de 2007.

• O United também passou por um período de jejum de títulos, mas em 2008, com uma equipa onde Rio Ferdinand e Wes Brown eram os únicos sobreviventes do jogo de Madrid, bateu o Chelsea FC no desempate por grandes penalidades e conquistou a UEFA Champions League.

Junte-se à conversa

  • © 1998-2014 UEFA . Todos os direitos reservados.
  • As palavras CHAMPIONS LEAGUE e UEFA CHAMPIONS LEAGUE, o logótipo e o troféu da UEFA Champions League e o logótipo da Final da UEFA Champions League estão protegidas por marcas registadas e/ou direitos de autor da UEFA. As referidas marcas registadas não podem ser utilizadas para qualquer fim comercial. A utilização do UEFA.com implica o seu acordo com os Termos e Condições, e com a Política de Privacidade.