Basileia ultrapassa susto e surpreende Liverpool

St. Jakob-Park, Basileia – 12-11-2002 – Fase de grupos
Basel
Basel
Rossi 2 Giménez 22 Atouba 29
3 - 3
Liverpool
  • Murphy 61
  • Šmicer 64
  • Owen 85
Liverpool
Drama até ao fim

"Se o jogo tivesse durado mais cinco minutos o Basileia tinha perdido." Gérard Houllier

2002/03

• O RC Deportivo La Coruña bateu o FC Bayern München na primeira jornada e terminou com a invencibilidade caseira da formação da Baviera na prova, que durava desde Dezembro de 1997, numa derrota por 1-0 contra o IFK Göteborg.

• A edição de 2002/03 teve um recorde de 44 empates, com três encontros da sexta jornada a terminarem com 3-3 no marcador. O destaque aconteceu quando o Liverpool FC, que ao intervalo do jogo ante o FC Basel 1893 perdia por 3-0, forçou o adversário à partilha de pontos, mas esta não seria a última vez que os ingleses conseguiriam tal proeza.

• Os gregos do AEK Athens FC estiveram imbatíveis na primeira fase de grupos, mas ficaram pelo caminho já que empataram os seis jogos: ante Real Madrid CF, AS Roma e KRC Genk, campeão da Bélgica.

O treinador do FC Basel 1893, Christian Gross, descreveu-o como "o jogo dos jogos" na conferência de imprensa de antevisão – e não se enganou.

Para o Basileia, vencedor da "dobradinha" suíça, o trabalho mais complicado esteve quase feito antes mesmo da visita do Liverpool FC, mas o ponto que o estreante na UEFA Champions League precisava para se apurar não foi fácil de obter frente a uma equipa deste calibre – mesmo depois de ter estado a ganhar por 3-0.

A equipa de Gérard Houllier, que precisava de ganhar para chegar à segunda fase de grupos, enfrentou sempre uma luta adversa, que rapidamente se transformou numa tarefa hercúlea. De facto, a dificuldade tornou-se maior logo ao cabo de 90 segundos, quando Hakan Yakin escapou ao fora-de-jogo e assistiu Julio Hernán Rossi, que encostou para o fundo da baliza. Emile Heskey acertou na barra – após um desvio de Pascal Zuberbühler com a ponta dos dedos – pouco depois, mas o ascendente estava sem dúvida do lado do Basileia.

Foi por isso sem surpresa quando a meio da primeira parte, e com Yakin no centro de mais uma jogada inteligente, Christian Giménez se isolou e bateu Jerzy Dudek sem dificuldade. Sete minutos depois, a vantagem aumentou de dois para três, e o que parecia improvável tornou-se certamente impossível, com Dudek a desviar um livre em direcção a Thimothée Atouba, que aproveitou a oferta.

O Liverpool estava encostado às cordas. Uma hora de jogo decorrida e a vantagem do Basileia mantinha-se, ele que continuava ameaçador e quase apurado para a fase seguinte. O bom remate de Danny Murphy à entrada da área, a reduzir a diferença, pode ter dado o alerta contra qualquer tipo de relaxamento, mas parecia ter sido demasiado tarde.

No entanto, o nervosismo em St Jakob-Park disparou apenas três minutos depois, quando a bola picada por Milan Baroš de forma insolente, através de sorte ou engenho, foi parar a Vladimir Šmicer, que fez o segundo dos "reds". O Basileia tentou a todo o custo suster a recuperação adversária, e apesar de ter sido sujeito a cinco minutos finais muito tensos, depois de Michael Owen ter feito o empate de penalty, já tinha cumprido a sua tarefa.

Roy Evans, figura emblemática do clube, disse uma vez que "o Liverpool sem competições europeias é como um banquete sem vinho". Ainda assim, teve a consolação de transitar para a Taça UEFA, mas não sobraram dúvidas de que o Basileia tinha perturbado a ordem natural das coisas com todo o mérito – embora tenha passado por um pequeno susto.

Estrelas

  • Owen

    Dotado de uma velocidade estonteante, Owen tinha apenas 18 anos quando se apresentou ao Mundo ao marcar um golo sensacional à Argentina no Campeonato do Mundo de 1998. Apontou 118 golos em 216 jogos da Premier League ao serviço do Liverpool FC, ajudando o clube a conquistar a Taça de Inglaterra de 2001, tendo depois jogado durante um ano no Real Madrid CF. Foi muito afectado pelas lesões nas passagens posteriores pelo Newcastle United FC e pelo Manchester United FC.

  • Šmicer

    Membro da selecção da República Checa que chegou à final do EURO '96, Šmicer começou a dar nas vistas no SK Slavia Praha. Transferiu-se para o Liverpool FC em 1999, depois de uma passagem pelo RC Lens, e conquistou a Taça de Inglaterra e a Taça UEFA em 2001. Avançado destemido e versátil, gravou o seu nome na história da formação de Anfield após sair do banco de suplentes e marcar na final da UEFA Champions League em 2005, frente ao AC Milan.

  • Hakan Yakin

    Veterano em quatro fases finais de torneios de selecções, marcando três golos em casa no UEFA EURO 2008, o internacional suíço Yakin desfrutou de grande sucesso no FC Basel 1893. O astuto médio criativo registou passagens por VfB Stuttgart, Galatasaray AŞ e Al Gharafa, do Qatar, antes de regressar à Suíça em 2009. Ingressou no FC Luzern, onde viria a ser treinado pelo irmão Murat.

O que aconteceu depois?

• O FC Basel 1893 não conseguiu o segundo lugar de apuramento, apesar de ter terminado em igualdade pontual com a Juventus, que levou a melhor devido a uma diferença de golos superior.

• O Liverpool venceu o AJ Auxerre com um resultado total de 3-0 nos oitavos-de-final da Taça UEFA, mas foi eliminado nos quartos-de-final (total: 3-1) pelo campeão escocês Celtic FC.

• Os "reds" regressaram à Taça UEFA na temporada seguinte, após terem terminado a Premier League no quinto lugar. Pelo menos teve a consolação de bater o Manchester United FC na final da Taça da Liga.

• Hakan Yakin, fundamental na eliminação madrugadora do Liverpool, transferiu-se para o VfB Stuttgart em Julho de 2003, depois de ter marcado 43 golos em 131 jogos do campeonato ao serviço do clube da sua cidade-natal, o Basileia.

• Rafael Benítez substituiu Gérard Houllier em Anfield no Verão de 2004, conquistando a UEFA Champions League na sua época de estreia após um desempate por penalties dramático frente ao AC Milan.

Junte-se à conversa

  • © 1998-2014 UEFA . Todos os direitos reservados.
  • As palavras CHAMPIONS LEAGUE e UEFA CHAMPIONS LEAGUE, o logótipo e o troféu da UEFA Champions League e o logótipo da Final da UEFA Champions League estão protegidas por marcas registadas e/ou direitos de autor da UEFA. As referidas marcas registadas não podem ser utilizadas para qualquer fim comercial. A utilização do UEFA.com implica o seu acordo com os Termos e Condições, e com a Política de Privacidade.